Finalmente deixei a preguiça de lado e vim aqui dar meu testemunho de como venci a chapinha! Muita, mas muita gente mesmo me perguntou como foi o processo de transição, aceitação e como foi que eu resolvi e consegui largar a prancha de vez sem ter recaída. Senta aí amiga, pois a história é bem longa...



Pra começarmos, eu gostaria de dizer que quando mais nova eu detestava o meu cabelo (quem nunca, né?). Sim, eu odiava o fato de não ter nascido com os cabelos lisos e já cheguei a brigar com a minha mãe por causa disso (bizarro, né?!). Obviamente, essa minha revolta não era só birra minha, pois desde pequena tive que lidar com todos os padrões impostos pela sociedade. (E muita gente diz que isso é frescura, coisa de feminista. Aham) "Mas Sara, como assim?" Amiga, é simples: todas as minhas bonecas tinham o cabelo LISO, nos desenhos que eu assistia as princesas só tinham cabelos LISOS, nos filmes e novelas que eu assistia, as musas quase sempre tinham cabelos LISOS, entre outras situações que você bem conhece. Pois bem, quando mais nova eu não me sentia representada por nenhuma delas. Desde pequena, aquele questionamento de "por que nenhuma delas é igual a mim?" sempre esteve presente. Hoje em dia, vejo o quanto a publicidade influencia no nosso modo de pensar e principalmente no nosso modo de enxergar a nós mesmas.

E sabe o que também influencia? As pessoas com quem você convive. Gente tóxica tem a capacidade de nos virar contra nós mesmas. Eu vivia cercada de gente assim, o que contribuiu muito pra minha constante e inútil busca por estar dentro dos padrões. Críticas sempre existirão, pois as pessoas nunca estarão satisfeitas nem com elas mesmas, quem dirá com você. Gente bem resolvida não enche o saco de ninguém, e é perto de gente assim que você deve estar. A questão é saber o que fazer com todas essas críticas, o que eu não sabia na época. Toda vez que alguém falava mal do meu cabelo, eu me sentia cada vez mais ridícula, pequena, feia. Parece exagero, né? Mas eu sempre fui aquela pessoa que se importava demais com a opinião alheia. Eu sentia raiva, frustração, me olhava no espelho e desejava nascer de novo, tudo isso causado por gente que não se coloca no lugar do outro. Empatia, a falta dela foi um dos maiores causadores de toda essa bagunça que ocorreu dentro de mim.

Passei a adolescência toda alisando o cabelo, era raro alguém me ver com os cabelos naturais. Sempre amei tirar fotos, principalmente minhas, mas foto com cabelo cacheado? Nem pensar!!! Ao meu ver, eu sempre estaria horrorosa com o cabelo natural. Comecei a me sentir segura e bonita apenas com o cabelo alisado, e super insegura e esquisita com os cabelos anelados. Eu namorei um sujeito que tinha vergonha de mim quando eu usava meu cabelo natural, vivi 2 anos sendo reprimida por eu ser quem eu era. Mesmo com meus amigos mais próximos e com a minha mãe me dizendo o quanto eu era linda com o cabelo natural, eu não conseguia aceitar, simplesmente eu não enxergava beleza no que eu era de verdade. 

Com o tempo, a gente vai amadurecendo e deixando de se importar com o que as pessoas dizem da gente (tinha que ser assim sempre, né?!). Mas enquanto isso não acontece, a gente leva muita porrada, muita cacetada, sofre demais e se pergunta o por quê de tudo isso estar acontecendo. O lado positivo, é que toda essa fase horrorosa vira aprendizado. Como diz naquela música da Katy Perry "Depois do furacão, vem o arco-íris". Achei importante escrever sobre isso antes de já começar dizendo como foi todo o meu processo de "desintoxicação" da chapinha, pois quero levar cada um de vocês a refletir sobre. "Refletir sobre cabelo, Sara?". Não só sobre cabelo, mas sim refletir sobre como tudo o que você diz a alguém, tem um peso, uma consequência. Se eu guardo mágoa de quem escroteou o meu cabelo no passado? Nenhuma! De certa forma, eu agradeço a cada uma dessas pessoas, pois isso foi um dos motivos para me fazer querer ser diferente de tudo que esperavam que eu fosse. Eu apanhei, mas eu aprendi. E pra você que está passando por uma fase ruim, tá com a auto estima lá no subsolo, achando que tá tudo ruim e sem graça: Fica firme amigx, tudo vai ficar bem!

"Sara, chega de blablabla, dá pra ir logo pra parte que realmente condiz com o título do post?" Vamos!!

Como eu já disse no início da postagem, muita gente me fez muuuuuuitas perguntas sobre como eu passei por esse processo de largar a chapinha e eis que estou aqui para sanar todas essas dúvidas de uma vez por todas! Eu estava pensando em como fazer esse post ficar mais explicativo, então resolvi fazê-lo como um F.A.Q (FREQUENTLY ASKED QUESTIONS ~ PT/BR: Perguntas feitas frequentemente) ou seja: Vou escrever e responder as perguntas que eu sempre ouvia de todo mundo. Então vamos lá?

   Quando e qual foi o motivo de você abandonar a chapinha?
Comecei o processo de "transição" em meados de outubro/novembro de 2015 pelo simples motivo de ver o quanto os cachos estavam ganhando força na internet, passei a pesquisar e ler muito sobre como cuidar do cabelo cacheado, assisti à tutoriais de fitagem, testei e acabei me apaixonando.
A primeira blogueira que acompanhei foi a Camila Santana, que aliás, indico pra todo mundo que me pergunta sobre fitagem. Passei a seguir todas as dicas que eu via nos vídeos e com isso, vieram os elogios ao meu cabelo. Consequentemente, consegui convencer a mim mesma de que eu poderia sim viver sem chapinha sem ficar com o ego ferido. Fui aprendendo a lidar com quem eu realmente sou e hoje tenho o maior orgulho de ter me libertado! Meu cabelo hoje é minha paixão!!!
À essa moça linda que sou eternamente grata, Camila Santana <3


Quais produtos você usou para o seu cabelo voltar à forma que ele tinha antes?

Nenhum produto específico para transição, apenas tomei o cuidado de passar a usar produtos próprios para cabelo cacheado. Parece bobagem, mas faz toda a diferença parar pra ler os rótulos do shampoo e do condicionador, viu?! Os produtos que eu usei de início foram os da Garnier da linha Cachos Poderosos e que eu tenho uma paixão por eles até hoje. Fica a dica viu amigx? Se você tá dispostx a se libertar de vez, invista muitíssimo em produtinhos para o seu tipo de cabelo, ele vai te agradecer muito por isso.


Quanto tempo levou para o seu cabelo voltar ao normal?

Sempre me refiro à minha "transição" entre aspas, por que eu nunca usei uma química que mudasse a estrutura dos meus fios, utilizei apenas a chapinha e por esse mesmo motivo, o meu tempo foi bem curto. Em uma semana, com os devidos cuidados, meu cabelo passou a se comportar como eu esperava. Por isso, NÃO me usem como parâmetro. Transição exige muita paciência! Eu sempre escuto reclamações do tipo: "mas meu cabelo não cacheia, não cresce e etc". Coloquem uma coisa em mente: Cada cacheado é único, por mais que o seu pareça com a de fulana, eles não se comportam da mesma forma. Você tem que aprender a entender as necessidades do seu cabelo, lide com isso.

Quero o meu cabelo que nem o seu, mas não consigo ficar sem a chapinha. O que eu faço?
Se decida! Me dói ouvir "quero o cabelo igual/que nem o seu", sei que é uma forma de "elogio" mas eu não gosto de ouvir isso porque como eu já disse: Cada cabelo cacheado é único! Não queira ficar igual a ninguém, e sim queira ser você! Agora, se você quer ter um cabelo cacheado bapho, mas não quer largar a chapinha... eu tenho um conselho: Vá largando aos pouquinhos, até você chegar num ponto em que não vai mais precisar. Eu acho esse método arriscado pois pode haver recaídas ou pura preguiça mesmo, por que ter cabelo cacheado não é NADA fácil, já tô avisando. Eu larguei a chapinha de imediato, e pra que não houvessem recaídas, doei a que eu tinha pra alguém. A dica que eu posso dar à você é: DESAPEGA!

Você teve que cortar o seu cabelo? 
Não tive exatamente que cortar pra ele voltar a cachear, pois ele cacheou facilmente (no MEU caso). Acontece que eu estava com as pontas super quebradiças por conta da chapinha, então meti a tesoura sem dó. Meu cabelo só teve a agradecer. Cortei ele em camadas, no youtube ensina direitinho como fazer. Se você tiver coragem, se joga!

Qual o seu tipo de cacho e como descubro qual o meu?
Meu tipo de cacho é o 3A/3B (tipo da curvatura) e eu tenho a raiz lisa (o que é um tormento). "Mas Sara, como eu descubro meu tipo de cacho?" Amigx, é só jogar no google que vão aparecer inúmeras tabelas te explicando. Como sou super legal, disponibilizo essa aqui que fica na embalagem dos produtos da Salon Line da linha Tô de Cacho! Essa imagem eu peguei aqui.

Como você finaliza seu cabelo?
Essa pergunta definitivamente é a campeã! Sempre recebo via inbox, direct, pessoalmente e etc. Futuramente pretendo fazer um vídeo mostrando como eu finalizo, deixa só eu perder essa timidez. Então, basicamente eu faço a fitagem e finalizo com o secador + peneira (que substitui o difusor). e logo após, encho a mão de óleo e espalho pela juba pois meu cabelo é super seco. Aguardem um post mais explicativo sobre isso, prometo que vou preparar pra vocês. 

Você frequenta algum salão?
Não, desde que passei por esse processo nunca mais frequentei salão pois aprendi a fazer tudo em casa! Desde hidratações profundas até o corte! Graças à internet, temos disponíveis vários tutoriais e com isso não senti mais necessidade de procurar um profissional ( a falta de grana também é um motivo), até descoloração eu faço sozinha. Mas se você não se sente preparada pra lidar com sua juba sozinha, não arrisque e procure já um profissa, ok??

Quais cremes você usa?
Para finalizar, eu uso o Multy - Salon Line que é a minha paixão, o uso desde que comecei a procurar sobre produtos para cachos. Ela é cheirosinho, leve, bem baratinho, multifuncional e cumpre com o que promete! ele é O MELHOR para co-wash também. Se tá em dúvida de que produto utilizar pra começar essa vida cacheada, sem dúvidas eu te indico o Multy. #SalonLinemepatrocina hehehehehehe.
Outro creme que também é a menina dos meus olhos, é o Hidra, também da Salon Line que também é super barato e cumpre com a promessa de deixar os fios bem hidratados. Super indico os dois para quem está começando agora e pra quem já é de casa também.
Uso outros cremes e ativadores de cachos também, mas isso fica pra outro post, beleza? : 



Bom, acho que com isso eu consigo ajudar vocês a ficar menos perdidas. Qualquer dúvida que surgir já sabem né? Só falar comigo aqui nos comentários que vou responder vocês o mais rápido que eu puder.

Até o próximo post!
Beijos enroladinhos. :*

Deixe um comentário

Solta o verbo!